"...Portai-vos com sabedoria diante dos que são de fora; aproveitai as oportunidades..."
Colossenses 4:05


Não é a primeira mensagem que eu uso com esta referência bíblica, a de Colossenses 4:05 (Desejo, tempo e maturidade), e desta vêz o assunto é um pouco mais, digamos, vergonhoso.

Tive uma experiência hoje que certamente me marcará, dois colegas de trabalho que professam uma outra fé comentaram comigo sobre a abordagem de alguns "crentes" que eles conhecem, alguns inclusive dentro da empresa em que trabalhamos.

Lembrei de uma experiência em ônibus com um casal de "crentes", a coisa foi tão estranha e vergonhosa que um outro homem que nada tinha à ver com a situação me aborda e diz: "Jovem, quero pedir desculpas no lugar destes irmãos! Há pessoas que, quando se convertem, esquecem de onde foram tirados, estes, quando passam por lutas esquecem também o que plantaram."
Assim, conforme os colegas do trabalho me contavam as "abordagens" recebidas, eu não tive outra reação a não ser, pedir desculpas a eles em nome destes amados irmãos. Aproveitei para contar-lhes sobre minha experiência na fé, não neguei que pelo menos umas quinze vêzes eu "matei" minha mãe com palavras, acreditando estar assim, honrando a Deus. Contei-lhe que também tive minha fase fanático, santarrão, espiritual e com isso pedi que, se possível fosse, não considerarem palavras mal ditas como as que eles me contavam.

Com esta experiência em mente, fui lembrabdo de algumas passagens PRÁTICAS das Escrituras. São passagens que, embora bastante conhecida da maioria dos evangélicos, ainda vemos pouco em prática, razão pela qual ainda abrimos feridas difíceis de curar, ainda ouvimos falar de algumas atitudes que são verdadeiras aberrações.

Outro dia, lendo o texto de Mateus 23:12 eu perguntei ao Espírito o que fazer para me humilhar a mim mesmo? O que isso significava de fato. A resposta que eu tive instantaneamente foi para não esquecer quem eu sou. O que sou sem Ele. Parece que esquecemos quem somos, quão miseráveis eramos quando ainda eramos inimígos dEle, e pouco importa se você nasceu num "berço evangélico", isso não assegura nada, a não ser que há uma grande chance de você se acomodar com as coisas de Deus como os filhos de Eli (I Samuel 2).

Por causa da muita letra e dos rituais religiosos muitos agem de forma tão farisáica que em nada lembra o amor não fingido (Romanos 12:09) e muito menos santidade. Se estes desavisados irmãos soubessem o peso do Nome que carregam, o que está em jogo a cada ação e reação, certamente entenderiam que o amor não é uma retórica, mas um mandamento.

"...Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. Disse-lhe o escriba: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que ele é o único, e não há outro senão ele, e que amar a Deus de todo o coração e de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo excede a todos os holocaustos e sacrifícios. Vendo Jesus que ele havia respondido sabiamente, declarou-lhe: Não estás longe do reino de Deus. E já ninguém mais ousava interrogá-lo..."Marcos 12:30 a 34
"...Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação..."
II Timóteo 1:07

"...e, quando ele (Espírito Santo) vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo..."
João 16:08

"...e respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos..."
Zacarias 4:06

"...Portai-vos com sabedoria diante dos que são de fora; aproveitai as oportunidades..."
Colossenses 4:05