"...Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas..."

Mateus 6:09 a 15
Alguns detalhes começaram a me intrigar quando eu, finalmente, passei a dar mais atenção para o famoso "Pai Nosso". Eu quero compartilhar com vocês dois deles.

Senso Coletivo
Note que o Mestre inicia seu ensino, dizendo: "
...Portanto, vós orareis assim:...", até aqui tudo bem, afinal Ele estava se dirigindo a uma multidão, mas o Mestre segue em Seu ensino dizendo "...Pai nosso...", e não "meu pai", no melhor estilo Inri Cristi, e não para por aí, sutilmente o Mestre reflete seu desejo para que sejamos um (João 17:11) pois sempre que há um pedido neste modelo de oração, o Verdadeiro diz: "...o pão nosso...", "...não nos induzas...", "...livra-nos..." e "...perdoa-nos...".
Porque eu deixei o perdoa-nos por último? Porque este é o segundo detalhe.

Referência de Perdão
No versículo 12 está escrito: "
...E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores..." e isso já seria o bastente, afinal, o objetivo do "Pai Nosso" era ser um modelo de oração, mas o Mestre decide, ao encerrar seu ensino sobre a oração, lembrar de um só ponto, o PERDÃO!
É este ponto que nossa oração muitas vêses não alcança, os versículos
14 e 15 nos lembram que a medida que perdoarmos, seremos perdoados, com a medida que medirmos, o Justo nos medirá. E não há canções, lágrimas ou bajulações que O impessa de cumprir em nós esta regra preciosa, a referência de perdão que queremos para nós está em nós mesmos.

Todos fomos chamado para missões, o "sucesso" de nosso ministério pessoal não é avaliado pelo tamanho da propaganda que fazemos dele, mas em secreto, pelo que praticamos da tudo aquilo que pregamos eloquentemente por aí!

Pense nisso e pratique o dasafiador "Pai Nosso".

edinelson f. lopes
coord. evangelismo